Conecte-se conosco

Publicado

em

A Vivo anuncia a chegada da Vivo Fibra em nove cidades de São Paulo. Os municípios de Adamantina, Barra Bonita, Dracena, Itápolis, Guararapes e Espírito Santo do Pinhal passam a contar com a maior infraestrutura de banda larga, a Vivo Fibra, com planos de banda larga de até 600 Mega de velocidade. A empresa segue adotando diferentes modelos de negócios para acelerar fibra ótica em todo País, e, por isso, ainda leva conexão para as cidades de Franco da Rocha, Francisco Morato e Caieiras, por meio do Terra Fibra, seu modelo de franquia. As novas cidades se juntam às mais de 131 cidades do Estado de São Paulo que já contam com a Vivo Fibra, essencial para manter os novos hábitos das pessoas – seja no trabalho remoto, na educação online, na consulta médica -, rotinas que tendem a ser cada vez mais virtuais.

A infraestrutura disponibilizada pela Vivo, no modelo FTTH (Fiber To The Home), possibilita levar a tecnologia de fibra para dentro da casa do cliente, garantindo a melhor qualidade de sinal, mesmo em horários de pico e com diversos devices conectados. “Estas seis cidades recebem hoje o que há de mais moderno em banda larga no País. A estratégia da Vivo está centrada na digitalização de todas as cidades brasileiras, essencial para popularizar o acesso a uma internet de qualidade e fomentar a economia local, com geração de empregos e novas oportunidades de negócios a partir de uma conexão segura, veloz e estável” explica João Truran, diretor regional da Vivo em São Paulo. “Vamos continuar avançando com ainda mais fibra e soluções digitais que apoiem o dia a dia dos nossos clientes e empresas”, finaliza.

Atuando como um hub de serviços digitais e seguindo o conceito TemTudoNaVivo, a empresa se associou às marcas mais procuradas pelos consumidores para oferecer planos que se encaixam com a realidade de consumo de seus clientes residenciais. Com a Vivo, é possível contratar a banda larga incluindo os serviços Netflix ou Disney+ e ter a conveniência de uma fatura única e até quatro acessos simultâneos. Para os clientes que já possuem assinaturas e quiserem aderir aos planos, não é necessário fazer o cancelamento dos serviços. Basta o cliente vincular suas contas à Vivo, em um processo simples, seguindo o passo a passo enviado por e-mail e SMS no momento da aquisição.

Com a Vivo Fibra, o cliente também pode adquirir o Vivo Play, a plataforma de vídeo da Vivo. O Vivo Play oferece a melhor experiência de TV em HD através da melhor tecnologia de fibra do mercado, além de recursos como o ao vivo inteligente (pausa ao vivo, voltar do início e reprise de até 7 dias). A plataforma disponibiliza mais de 20 mil conteúdos on-demand, a depender do pacote contratado, incluindo os mais novos sucessos do cinema, para assistir a qualquer hora e onde quiser. O Vivo Play é a única plataforma do mercado que oferece o acesso integrado aos melhores aplicativos de streaming, como Netflix, Amazon Prime Video, Youtube e Youtube Kids, sem precisar de uma smartTV. E pelo aplicativo do Vivo Play – o Vivo Play App – o cliente pode acessar mais de 80 canais ao vivo com até cinco dispositivos simultâneos. O app está disponível em smartphones, tablets, computadores, SmartTVs e devices conectados como Chromecast e FireTV stick.

Além disso, cliente Vivo Fibra tem benefício para aproveitar também o melhor da rede móvel Vivo. Caso possua ou contrate planos Vivo Pós ou Vivo Controle, que contam com ligações, WhatsApp e SMS ilimitados para qualquer operadora, o cliente recebe bônus de dados adicionais de até 50 GB todos os meses, para usar como quiser, além de apps exclusivos.

Ao adquirir Vivo Fibra, o cliente conta gratuitamente com os benefícios do Vivo Valoriza, programa de relacionamento que oferece descontos em produtos e serviços da Vivo e de parceiros. Todos os benefícios podem ser resgatados pelo celular no aplicativo Meu Vivo.

Continue Reading
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos

5G: a expansão da capacidade de inovação

Publicado

em

Por

Com acelerado processo de digitalização, vivemos uma série de explosões massivas da quantidade de dados trafegados na rede, construindo um universo virtual que não para de se expandir. Isso chega a ser assustador uma vez que vemos alter egos digitais de pessoas, empresas e instituições, que desejam expressar suas posições políticas, lugares preferidos, conexões, gostos – no canal de comunicação seguro atualmente – em tempos de pandemia.

Tudo isso gera uma enorme pressão sobre a infraestrutura tecnológica e sobre a capacidade de transferência de dados (throughput). Não adianta uma quantidade absurda de dados, se eles não conseguem se movimentar de forma ágil, com boa performance, ou se não conseguem ser tratados como informação valiosa (Analytics) no momento correto da ação.

Com a evolução natural dos protocolos de rede e a chegada da tecnologia 5G, migraremos para um novo patamar em relação à performance de banda larga. Estima-se que os benefícios do 5G acarretarão em taxas de throughput até 20 maiores que as atuais, latências mais baixas (de 50 ms para 5 ms) e maior densidade de acessos por km².

De acordo com o Ministério da Economia, a tecnologia de 5G terá forte impacto na produtividade e poderá atingir R$ 249 bilhões até 2035, enquanto players de mercado especulam que o ‘PIB do 5G’ ultrapassará a casa do R$ 1 trilhão. A consultoria IDC, referência na área de Tecnologia da Informação, estima que o impulso dado às tecnologias associadas – incluindo robótica, segurança da informação, nuvem pública, internet das coisas (IoT), Big Data e Analytics, realidade aumentada e virtual (AR/VR) e inteligência artificial – alcançará, no Brasil, cerca de US$ 22,5 bilhões de faturamento no período entre 2020 e 2024, significando um crescimento médio anual de 179%. Ou seja, a grande revolução não ficará restrita somente aos celulares, mas sim a qualquer ambiente tecnológico. Teremos a possibilidade de tirar do papel projetos inovadores e complexos como smart cities e smart factories.

Como um exemplo, hoje, ainda temos desafios de captação de vídeo em alta resolução para análise. No entanto, com alta velocidade e baixa latência de rede poderemos ter maior controle dos processos de um “chão de fábrica”, através de captura de vídeo 4K e aplicação de IA em tempo real. Por meio de monitoração ostensiva e inteligência artificial, será possível aumentar a segurança dos colaboradores, evitar fraudes, mitigar riscos de acidentes de trabalho e investir em melhorias de processos antes “invisíveis”.

No varejo, será possível aumentar a percepção e a confiabilidade dos dados captados por câmeras, sensores e softwares que auxiliarão na criação de narrativas e jornadas mais atrativas aos consumidores. Ainda, o avanço das tecnologias como IoT, 5G etc, nos levará à maior conectividade e, possivelmente, maior produtividade em setores ealier adopters. No setor agronegócio, embora represente quase 25% do PIB brasileiro, de acordo com o CEPEA (Centro de Estudo Avançado de Economia Aplicada), é preciso ampliar o acesso à internet, pois de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 70% das propriedades rurais não têm acesso à internet.

Segurança da informação, interoperabilidade e infraestrutura, ocuparão um papel importante na implantação da tecnologia 5G. As aplicações serão infinitas e essa nova plataforma poderá catalisar uma importante onda de investimentos reprimida, consequência do desenrolar de um gargalo ainda existente das redes de alta velocidade. Mas essa expansão dependerá da nossa capacidade de inovação e visão empreendedora.

Artigo por: Alex Takaoka, diretor de Vendas da Fujitsu do Brasil.

Continue Reading

+ LIDAS